Curiosidade

Published on junho 27th, 2019 | by sardinha

2

As tribos do universo geek

Em meio a tempos de inclusão e questões de identidade de gênero, tem surgido um número grande de nomenclaturas para identificar uma pessoa e suas diferentes tribos. Sendo à favor ou contra, essas palavras estão no nosso meio para ficar. E, claro, o meio geek / nerd não estaria de fora disso. E através dessa blogagem coletiva vou trazer para vocês as diversas tribos do universo geek.

Você pode até considerar os termos “geek” e “nerd” como sinônimos. Enquanto geeks e nerds compartilham certos traços comuns (e é possível ser ambos ao mesmo tempo), existem diferenças distintas entre os dois grupos. Esses nomes… termos, costumavam ser mais ou menos usados ​​ao distinguir os “párias” sociais da multidão escola. No entanto, esses rejeitados sociais estavam destinados a governar o mundo na forma de Elon Musk, Bill Gates, Mark Zuckerberg e outros.

 

Nerds

As origens do nerd são realmente nebulosas. Havia uma gíria de 1940, que colocava a palavra nerd como “pessoa louca”. No entanto, a origem mais citada é de que existia um livro infantil de 1950, If I Ran the Zoo, de um tal o Dr. Seuss que usava muito esse termo. Então, quem antes era chamado de CDF ou quadrado, passou a ser um nerd. Os nerds podem até ser considerados insanos porque são caracterizados por sua obsessão com assuntos de seus interesses. A definição moderna de nerd? Um intelectual que está focado em aprender tudo o que há para saber sobre um ou mais tópicos e dominar essas habilidades. Alguns diriam que um nerd não tem habilidades sociais ou simplesmente prefere atividades solitárias. Era (e às vezes ainda é) um termo pejorativo. Porém, aprendemos que, muitas vezes, é uma palavra de quatro letras com uma renda de seis dígitos, rs.

Os nerds possuem interesse extremo e obsessivo com livros e estudos, introversão, dificuldade para se relacionar socialmente; e diversas habilidades mais desenvolvidas devido ao gosto por games, filmes, ciência e computadores, Live Action (na maioria para jogos de RPG), xadrez, fantasia e ficcção científica, programação de PCs e física. Em 1984 o filme A Vingança dos Nerds (Revenge of the Nerds) começou a sugerir que era legal ser assim. A cultura de computação também ajudou os nerds a se tornarem populares, mas a palavra não é explicitamente associada à tecnologia. A proeza tecnológica nunca foi um requisito para ser um nerd; só que o nerd é extremamente inteligente em qualquer área acadêmica que põe sua atenção, algumas vezes até ignorando a socialização com pessoas em detrimento do estudo. Com isso os nerds foram ganhando força… espaço; com isso, outros nomes e outras tribos foram surgindo.

 

Geeks

Originalmente, lá pelos anos 1870, os geeks eram conhecidos como “tolos” e “bizarros”, pois era o nome dado aos artistas de rua que praticavam atos bizarros em suas apresentações, que ficaram conhecidas como geek ou freak shows. Um século depois, o termo Geek virou uma gíria da língua inglesa cujo significado é alguém viciado em tecnologia, em computadores e internet. Foi a partir da popularização da internet, no decorrer dos anos 1990, que o termo adquiriu conotações mais positivas, definindo um novo estilo de vida no qual os indivíduos se identificam e se sentem mais confortáveis. O conceito de geek é algo semelhante ao conceito de nerd, mas de acordo com sociólogos, os geeks são mais sociáveis . Eles querem falar sobre suas paixões, não só estudá-las. Seus gostos pessoais incluem videogames, filmes, colecionar objetos, paixão por gadgets e tecnologia, computação, códigos, hacks, música eletrônica, entre outros. Além disso, costumam usar camisetas com frases irônicas e engraçadas.

 

Gamers

A partir dos geek, veio uma subdivisão – os gamers. Historicamente, o termo “gamer” ou “gameplayer” se referia a alguém que jogava role-playing games (RPG) ou jogos com miniaturas. A partir da década de 70, o termo cresceu e incluiu os jogos eletrônicos. Mas não se engane, pois a própria tribo gamer ainda não considera quem joga somente pelo celular como sendo um deles. Dentro dos gamers, existe uma série de sub-divisões para especificar ainda mais o tipo de gamer que uma pessoa é. E, acreditem, é muita coisa.

  • Pc Gamer: Se trata do gamer que gosta de jogar pelo computador.
  • Video gamer: Um tipo de gamer que gosta de jogar videogames.
  • Table gamer: Um tipo de gamer que gosta de jogos de mesa.
  • Hardcore gamer:Uma pessoa que passa a maior parte do seu tempo de lazer jogando, e como consequência do grande tempo passado jogando, muitas vezes no nível mais difícil, ficando assim muito proficiente em jogar os jogos.
  • Retrogamer: Um gamer que gosta de jogar ou reunir jogos vídeo de determinada época mais antigas.
  • Cyber atleta: Um gamer profissional (muitas vezes abreviado de “pro gamer” ou somente “pro”) que joga jogos por dinheiro. É a galera do E-Sport.
  • Gamer Hacker: O Gamer Hacker é um jogador que burla as regras dos jogos online, utilizando-se de softwares de terceiros para alterar certas características do jogo, tais como passar de fase mais rápido, mais vida ou mana infinitas, entre diversas outras. O Hacker é considerado o pior tipo de gamer por não seguir as regras.
  • Gamer Generalista: Um jogador que gosta de jogar todos ou a maioria dos gêneros de jogos de videogame com no mínimo um nível de habilidade básica em cada área e não sendo necessariamente um especialista (Expert).

 

Otakus

Outro grupo bastante conhecido são os Otakus. É um termo japonês para pessoas com interesses obsessivos em anime e mangá, respectivamente desenho animado e quadrinhos japoneses. Seu uso contemporâneo originou-se com o ensaio de 1983 de Akio Nakamori em Manga Burikko. Otaku era muito usado como termo pejorativo para pessoas.
A subcultura Otaku é um tema central de várias obras de anime e mangá, documentários e pesquisas acadêmicas. Na década de 1980 começaram algumas mudanças nas mentalidades sociais e no cultivo de traços otaku pelas escolas japonesas, fazendo com que esses indivíduos deixassem de ser párias da sociedade. O nascimento dessa subcultura coincidiu com o boom do anime, após o lançamento de trabalhos como o Mobile Suit Gundam. Em 2005, o Nomura Research Institute dividiu o otaku em doze grupos e estimou o tamanho e o impacto de cada um desses grupos no mercado japonês. Eles incluíram como otaku pessoas que tinham muito interesse em animes, mangás, câmeras, automóveis, ídolos e eletrônicos.

 

E sua tribo qual é? Deixe seu comentário… vamos nos conhecer, criaturas! 😉

 

Gostou? Não se esqueça de conferir também os textos dos outros participantes:

Essa blogagem coletiva foi organizada por meio da BlogaWeb – A rede social dos blogueiros e blogueiras.


Sobre o(a) Autor(a)

Claudia Sardinha não consegue passar um dia sem assistir um episódio de seriado (já são uns 40 na lista). Ama jogar videogame e é viciada em resident Evil (e nunca diga que é jogo de zumbi perto dela). Adora jogar FPS no PC e ler livros de fantasia nas longas viagens de ônibus pro trabalho.



2 Responses to As tribos do universo geek

  1. Olá! Nossa, achei muito interessante a origem dos termos. Eu não fazia ideia que o termo “geek” havia nascido daí.

    Adoro como você consegue adaptar os temas das blogagens coletivas ao nicho do seu blog de um jeito bem legal!

    Eu sou nerd de quadrinhos e video games. Adoro, seria eu um geek?

    Abraços!

  2. Olá!
    Vi informações novas, pude aprender um pouco mais. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑