Cinema

Published on março 12th, 2018 | by Thiago Croft

1

Em Pedaços – um filme intenso, imersivo e super atual

Em Pedaços tem início com uma câmera de mão inquieta conotando um filme experimental, mas rapidamente o longa vai tomando forma e só tenho a agradecer que este recurso foi pouco usado, pois não favoreceu.

Em primeira mão somos apresentados ao casamento de Katja (Kruger) e Nuri (Acar) ainda na prisão. Logo saltando para a vida feliz do casal em seu cotidiano. Quando subitamente Nuri e o filho do casal Rocco são mortos por uma bomba. A princípio parece ser mais um drama sobre perda e recomeço, porém o roteirista e diretor Fatih Akin dá uma guinada durante a sequência do tribunal onde a explosão se mostra premeditada por intolerância racial. Um trecho bem forte com detalhamento descritivo do resultado da explosão de uma bomba caseira.

É então que o filme se divide em três atos: Família, Justiça e O Mar. Cada qual com um tom e estilo de narrativa próprio; o primeiro apresentando o drama da perda da família; passando pelo longo sistema judiciário alemão (impossível relacionarmos com o nosso próprio, ao mesmo tempo parecido e também muito diferente); e por fim o ato final trazendo grandes surpresas.
Chove. Chove o filme todo. Passando o tom lúgubre. cinzento e fúnebre, até mesmo nas cenas das praias gregas o dia é escuro, apenas nas lembranças e vídeos do passado há luz solar.

O ponto forte do filme está na atuação magnífica de Diane Kruger. Enquanto em Tróia, quando fez a causadora da guerra, Helena, a atriz apenas preenchia o plano com sua beleza estonteante e presença; passando pela fräulein Hammersmark em Bastardos Inglórios, onde além de beleza e presença trouxe excelente performance. Já no ‘Em Pedaços’, o sofrimento pela morte de sua família é retratado de forma intensa e verossímil. Kruger está muito diferente, logo de início não enxergamos mais aquela estrela alemã em Hollywood e sim a personagem encarnada com suas angústias. Tais cenas foram filmadas com incrível beleza e terríveis ao mesmo tempo, em especial uma cena da banheira.

DIANE KRUGER com ERIC BANA em Troia.

DIANE KRUGER com Michael Fassbender em Bastardos Inglórios

Em Pedaços é intenso, imersivo e super atual por se tratar de refugiados, radicalismo e preconceito.

Nota 8,5.

 

Assista ao trailer:


Prêmios do filme Em Pedaços:

Tags: , , ,


Sobre o(a) Autor(a)

Carioca, fã de história de fantasia. Não passa um fim-de-semana sem jogar RPG, a não ser que seja para ir pra pista dançar Spice Girls. Joga videogame nas horas vagas e é autor de VLAD - Sangue e Fúria, Axélia - O Diário da Vampira e dos contos: Despertar e Amém, Senhor!



One Response to Em Pedaços – um filme intenso, imersivo e super atual

  1. Cristina Alves says:

    Interessou-me…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑