25 anos de Resident Evil

Conhecido como o rei dos jogos de terror de sobrevivência (survivor horror) com mais de 100 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, Resident Evil faz hoje, dia 22 de março de 2021, 25 anos de seu lançamento.

E se você pensa que esse game está morto… apenas caminhando como um zumbi, está muito enganada(o). Resident Evil (ou Bioharzard no nome original japonês) está mais vivo do que nunca e com super lançamentos para ainda esse ano!

Quem segue o Minha Vida Geek sabe que esse é meu jogo favorito de todos os tempos. Com uma história complexa e misteriosa, vimos vários personagens surgirem para enfrentar a grande vilã Umbrella Corporation. Vimos o game criar braços, como um grande tentáculo, e abraçar vários estilos de jogabilidade sem perder sua essência.

Lembro-me como se fosse hoje, pegando o primeiro RE para playstation one em 1996. De cara já me apaixonei pela Jill Valentine a minha personagem favorita de games. Aliás, Resident Evil tem uma representação feminina muito legal, sem precisar ser vulgar. Depois jogando RE2, curti muito a Claire Redfield. Aí veio a experiência mais louca da minha vida RE3. Digo isso porque na época os games demoravam a sair por aqui e eu, na ansiedade, comprei a versão japonesa, implicando num jogo com textos em japonês e em preto e branco. Pois é! A versão do meu videogame não era transcodificada e jogo japonês não rodou em cores. Imagina achando uma erva e não sabendo se ela era verde, vermelha ou azul? E encontrar o Nemesis e não saber qual frase escolher para agira? Foi tenso, mas consegui terminar o game sem ajuda nem de revistas, pois as mesmas ainda não tinham o jogo para jogar na versão americana. Sim, é muito vício em Resident Evil, mas não me arrependo.

Nessa mesma época veio a frustração de não poder jogar Code Verônica, pois havia saído somente para o console DreamCast (que eu não tinha). Depois veio RE4 e os infectados mais ridículos da franquia (jo voy acer picadinho!). Na moral, não tem como respeitar quem fala que vai fazer picadinho ou chamar o Leon de Cabron, né? rs. O RE Outbreak foi tenso, pois não tinha como parar pra continuar depois… e ali você era um mero mortal… nada de pistolas, escopetas ou bazucas como os policiais da S.T.A.R.S. E a franquia foi seguindo em sua linha do tempo numérica e as paralelas. Filmes e animações foram lançadas… mangás… livros. E Resident Evil virou um universo transmídia, alcançando inúmeros fãs pelo mundo.

E se você é fã como eu, a Capcom atualizou o website Resident Evil Portal para os fãs poderem obter uma visão profunda da história do game com algo que se assemelha a uma enciclopédia interativa, repleta de conteúdo de todos os elementos desta assustadora série.

Então bora comemorar o dia de hoje da melhor forma possível: jogando um REzinho básico… hehe. E fique de olho em nosso site que, em breve, teremos mais notícias sobre o universo transmídia de Resident Evil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *