Vem aí nova série de Star Trek, spin-off da Discovery. E o que ela traz de diferente?

Depois de trazer a franquia de volta à TV com “Star Trek: Discovery” em 2017, e revisitar alguns personagens amados com “Star Trek: Picard” no início deste ano, o streaming CBS All Access vai lançar mais uma série: Star Trek: Strange New Worlds (Jornada nas Estrelas: Estranhos Mundos Novos), que retratam os primeiros dias da Enterprise, antes do Capitão Kirk assumir o comando. Nós tivemos um vislumbre disso na segunda temporada de “Discovery”, na qual o capitão Christopher Pike (Anson Mount) e um jovem Spock (Ethan Peck) se juntaram ao elenco – mas eles deixaram a Discovery e retornaram à Enterprise no final da temporada, no que parecia uma configuração óbvia para um spin-off, né?

Mas no que a série do Capitão Pike se destaca dos demais? A nova série contará com Anson Mount, Ethan Peck e Rebecca Romijn reprisando seus papéis como Capitão Pike, Spock e Número Um, respectivamente. O trio apareceu pela primeira vez na segunda temporada de Star Trek: Discovery e a combinação de um jovem Pike e um Spock traumatizado e barbudo certamente foi uma adição arriscada, mas graças a performances estelares e uma interpretação amorosamente realizada de um USS Enterprise pré-Kirk, fãs ficaram desesperados para ver mais da nova (antiga) equipe da Enterprise. Essa ligação foi atendida e uma platéia ansiosa o aguarda.

As duas primeiras temporadas do Discovery ocorreram uma década antes do início da Série Original e gradualmente incorporaram elementos e personagens mais familiares. A terceira temporada será lançada ainda este ano e mudou a ação para um futuro distante. Enquanto isso, Star Trek: Picard se entregou a uma rota mais nostálgica e continuou após os eventos do reboot de J.J. Abrams. A segunda temporada já foi confirmada, inclusive. Tanto Discovery quanto Picard são feitas para um público moderno, utilizando sexo, violência, palavrões e um tom mais sombrio de narrativa. Ambos programas também tecem narrativas abrangentes de longo prazo que atraem os telespectadores a não perder nenhum episódio.

Para se diferenciar da produção existente, Star Trek, Strange New Worlds deve (e parece que deve) seguir completamente a direção oposta, com temporadas episódicas com temas de aventura semelhantes às séries originais e The Next Generation, baseadas em exploração e esperança; visão que Gene Roddenberry imaginou todos esses anos atrás. É isso que Star Trek: Strange New Worlds precisa capturar, e todos os sinais apontam exatamente para isso. Em primeiro lugar, o fato de a série de Pike trazer de volta uma Enterprise em serviço sugere fortemente uma abordagem antiga – por que trazer de volta a nave original de Star Trek apenas para refazer o tom moderno do Discovery? Além disso, o título “Strange New Worlds” evoca o tipo de espírito otimista e menos intenso de Star Trek original.

Além disso, depois de estrear na segunda temporada de Star Trek: Discovery, Anson Mount e sua turma retornaram em Short Treks, onde sua popularidade foi cimentada. “The Trouble With Edward” foi um destaque indiscutível, lindamente executado com personagens completamente novos e tempo de execução rápido. Parte da atração inicial de Star Trek é que os telespectadores nunca sabiam o que sua equipe favorita encontraria semana após semana e o Short Treks provou que a Enterprise ainda é ideal para essas missões pontuais, mesmo mais de meio século depois.

Poucas franquias conseguem conciliar três programas, o que significa que a variedade será fundamental no futuro próximo de Star Trek. Embora a abordagem moderna liderada pela CBS All Access tenha trazido sucesso à franquia, Discovery e Picard também cortejaram uma certa quantidade de controvérsia, em grande parte devido a seus desvios do formato usual de Star Trek e em outras até no quesito científico que alguns fãs questionaram. Evidentemente, há um grande mercado para uma série de Star Trek mais de acordo com as aventuras originais de Kirk e Picard, e Strange New Worlds é a oportunidade ideal para oferecer isso, especialmente com outro projeto no pipeline, um spin-off da Seção 31, que dificilmente será brilhante e alegre. Com Star Trek: Discovery e Star Trek: Picard atingindo as notas mais escuras, mais maduras e de longo prazo, Star Trek: Strange New Worlds oferece um lugar na franquia para uma abordagem mais tradicional – algo que muitos fãs têm perdido muito no nova era.

Não há data de lançamento anunciada para “Strange New Worlds”. Afinal, pode demorar um pouco até que qualquer programa possa retomar a produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou desse blog? Então, não esqueça de compartilhar! :)