Nova Batwoman: Javicia Leslie substitui Ruby Rose

Com a entrada da nova atriz, Javicia Leslie, surge também uma nova personagem chamada Ryan Wilder.

Mas Kate Kane não morrerá na série, confirmou a produção. Ela desaparecerá no início da segunda temporada. Então, com Ruby Rose saindo do papel de Kate Kane, o drama da DC estará encerrando um capítulo sobre a prima de Bruce Wayne. Se seus amigos e familiares encontrarão ou não Kate ainda está para ser visto, é o que informa a criadora da série Caroline Dries que está optando por não matar a personagem, mas afirma que é altamente improvável que a primeira Batwoman seja vista novamente.

Mas quem será Ryan Wilder? Dries diz que é uma criação totalmente original feita exclusivamente para o Arrowverse, embora ela compartilhe algumas características comuns com um dos novos aliados do Batman nos quadrinhos.

Isso marca um momento histórico não apenas para o Arrowverse, mas também para a mitologia geral do Batman. Embora a Família Morcego seja composta por membros masculinos e femininos, existem muito poucos personagens da diversidade que fazem parte da cruzada de Bruce Wayne. Cassandra Cain e Luke Fox, que é um personagem regular de Batwoman, são dois dos poucos heróis diversos da equipe de Batman, entre os personagens majoritariamente brancos.

Como Ryan Wilder não existe no folclore da DC, isso dá aos escritores muita liberdade para criar sua própria mitologia enquanto ela veste a capa e o capuz. Como a produção está programada para acontecer em setembro, com a pandemia de coronavírus ainda afetando a indústria, mais detalhes sobre Ryan Wilder provavelmente estarão surgindo nos próximos meses, possivelmente no DC FanDome. No entanto, a entrada de Leslie como Batwoman, torna-se um momento importante não apenas para o Arrowverse, mas também para o gênero de super-heróis em geral.

Em muitas histórias de super-heróis, tanto na TV quanto no cinema, os personagens de cores foram retratados como o melhor amigo, o interesse amoroso ou outros vários papéis coadjuvantes do protagonista branco. Nos últimos 10 anos, a indústria começou a se aproximar da direção certa, já que consumidores e críticos apontaram a grande falta de caracteres de cor e sexualidade nas principais franquias de super-heróis. Embora os estúdios e as redes ainda tenham um longo caminho a percorrer, o progresso está acontecendo, apesar de alguns erros.

Black Lightning é um dos programas atuais que dá um forte exemplo de como é feito na tela e nos bastidores. Salim Akil é o showrunner que tem uma sala de escritores que consiste em várias vozes negras que estão presentes na sala para dar uma representação autêntica à família Pierce. Até Black Lightning estrear na CW, os outros shows do Arrowverse não tinham um herói de cores da DC que liderava sua própria série.

Quando Batwoman estreou, tornou-se a primeira série de super-heróis a não apenas apresentar um personagem LGBTQIA como protagonista, mas estrelar uma atriz abertamente gay no papel icônico. Agora temos Leslie que, além de negra é também bissexual assumida. Mas como a personagem de Leslie aparecerá na trama ainda é um mistério.

E você, o que achou da nova Batwoman? Quais suas expectativas? Fiquem ligados aqui no Minha Vida Geek para mais informações sobre a série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *